HCR confirma existência de cerca 500 refugiados angolanos

Fonte: Angola Press

Muitos refugiados angolanos contiuam a viver no Botswana (Foto: Angop)

Quinhentos angolanos continuam ainda a viver em campos de refugiados na República do Botswana, depois de as autoridades angolanas terem dado por fim o processo de regresso voluntário de todos os cidadãos que viviam nestas condições em países vizinhos de Angola, anunciou o representante do Alto Comissariado da ONU em Gaberone, Shana Kaninda.

De acordo com uma nota de imprensa da Embaixada de Angola no Botswana chegada hoje, segunda-feira, à Angop, Shana Kaninda anunciou estes dados numa audiência que lhe foi concedida quarta-feira pelo chefe da missão angolana em Gaberone, José Agostinho Neto.
 
O embaixador angolano convocou o representante do HCR para obter informações precisas e a posição oficial daquele organismo das Nações Unidas sobre a presença de refugiados angolanos em território tswanês, uma vez o Governo angolano ter notificado oficialmente o fim do seu repatriamento voluntário.
 
O governo angolano levou a cabo de Junho de 2003 a Dezembro de 2006 uma operação de repatriamento voluntário e organizado dos refugiados angolanos dentro dos parâmetros e modalidades estabelecidas pelas comissões tripartidas, constituídas pelos representantes da República de Angola, países de asilo e do HCR.
 
A 27 de Março de 2007, o governo angolano realizou em Luanda uma cerimónia solene de encerramento desta operação, que marcou a extinção das comissões criadas ao abrigo dos acordos tripartidos, na qual o Botswana não se fez representar.
 
Durante a audiência que concedeu ao funcionário do HCR, José Agostinho Neto mostrou–se preocupado com a presença prolongada de angolanos em campos de refugiados, sem que haja uma definição da sua situação, em conformidade com o direito e o estatuto internacional dos refugiados.
 
O representante do HCR disse, por seu lado, que a organização está a estudar um programa que deverá prever novos prazos para o repatriamento voluntário dos refugiados, a ser submetido aos governos dos países da região austral, como forma de se dar solução definitiva ao problema.
 
De acordo com Shana Kaninda, este programa propõe que seja estabelecido um novo prazo que vai de Janeiro a Dezembro de 2011, para que se proceda ao repatriamento de todos quantos manifestem o desejo de regressar aos respectivos países.
 
O embaixador angolano manifestou todo apoio da Missão que dirige e instou o HCR a levar a cabo de forma mais célere todas as tarefas necessárias, visando resolver de forma definitiva o drama das populações que se encontram nestas condições de refugiados.
Anúncios

Uma resposta para HCR confirma existência de cerca 500 refugiados angolanos

  1. Maria Cec,ilia Gomes disse:

    Compartilho e congratulo com todos aqueles que se esforçam por superar toda forma de segregação social , excluindo outros seres humanos de terem atendidos os seus direitos básicos de pertencerem ao espaço físico, que define uma Pátria. O sentimento de pertencimento,que nos leva ao encontro com o outro, com o intuito de cuidar,proteger e promover.Gostaria, de alguma forma, contribuir para a costrução desse mundo melhor e mais justo. Que Deus abençoe o esforço das mãos do Amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: