Estrangeiros fogem do Arizona nas vésperas da aplicação da lei anti-imigrantes

Fonte: UOL

Lorena Aguilar, nicaraguense, anuncia aos gritos a venda de sua televisão e de algumas roupas em uma calçada de Phoenix, capital do Arizona (EUA). Na mesma rua, sua vizinha mexicana Wendi Villasenor tenta passar adiante uma mesa de cozinha, cadeiras e utensílios domésticos, em um esforço para diminuir o prejuízo na saída apressada do Estado, dias antes de entrar em vigor a lei que vai tratar o imigrante ilegal como criminoso.

“Todo mundo está vendendo o pouco que tem e indo embora”, afirma Villasenor, 31, imigrante ilegal, que pretende partir para o Estado da Pensilvânia. “Não temos escolha, eles nos encurralaram.”

Essas duas mulheres estão entre as muitas famílias imigrantes no Arizona que estão tentando liquidar suas posses e deixar o Estado antes de quinta-feira (29), quando passa valer a legislação assinada pela governadora do Arizona, Jan Brewer, em maio passado.

De acordo com a nova lei, a polícia é orientada a questionar a situação migratória de uma pessoa considerada “suspeita” de estar no país ilegalmente e que for pega durante qualquer tipo de controle policial, como uma batida de trânsito, por exemplo. Quem contratar ou transportar imigrantes ilegais também pode ser punido.

A lei coloca na mira da polícia os 400 mil trabalhadores sem documentação que em geral se ocupam como diaristas ou em profissões não regulamentadas no Estado do Arizona, que faz fronteira com o México. O governo estima que 100 mil migrantes ilegais deixaram o Arizona nos últimos três anos, depois da aplicação de uma lei que obriga as empresas a confirmarem o status migratórios de seus trabalhadores. Não há estimativas específicas sobre os últimos três meses.

Alguns deles estão voltando para o México e para outros países latino-americanos. Outros procuram novas chances em outras regiões dos EUA. Em um sinal do êxodo recente, alguns salões de beleza e restaurantes mexicanos, por exemplo, estão fechando as portas, à medida que empregados e clientes vão embora.

“Eles queriam tirar os latinos do Arizona e conseguiram mesmo antes da lei entrar em vigor”, afirmou Aguilar, 28, mãe de três crianças.

Quando conversou com a reportagem da Reuters, ela tinha conseguido juntar US$ 20 com as vendas. “Todo mundo aqui está vendendo, e ninguém quer comprar”.

Apenas uma decisão judicial pode impedir que a lei, criticada por diversos países e órgãos de defesa dos direitos humanos, entre em vigor no próximo dia 29. Entre as ações movidas com esse objetivo está um processo do próprio governo federal, no qual a administração do presidente Barack Obama tenta barrar a lei argumentado que a imigração é uma questão que deve ser regulada em âmbito nacional.

*Com informações da Reuters

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: