Cronologia das negociações diretas israelo-palestinas desde Oslo

Fonte: AFP

Palestinos protestam queimando bandeira de Israel em Jayyus, perto de Qalqilya, em 2009

A retomada das negociações diretas entre israelenses e palestinos, que deve recomeçar nesta próxima quinta-feira em Washington, será o mais recente episódio no longo histórico das conversações de paz iniciadas em 1993 em Oslo, na Noruega.

Apesar dos avanços registrados em pontos isolados, as negociações nunca levaram a um acordo geral. Assim, 17 anos depois, as duas partes encontram-se praticamente de volta à estaca zero.

– 13 de setembro de 1993: Após seis meses de negociações secretas e diretas em Oslo, Israel e a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) se reconhecem mutuamente e assinam em Washington uma declaração de princípios estabelecendo uma autonomia palestina transitória de cinco anos. O primeiro-ministro israelense Yitzhak Rabin e o dirigente palestino Yasser Arafat apertam as mãos em um gesto histórico.

– 4 de maio de 1994: Acordo sobre a autonomia de Gaza e Jericó (Cisjordânia) é ratificado no Cairo. Israel evacua 70% da Faixa de Gaza e do enclave de Jericó.

– 28 de setembro de 1995: Em Washington, é fechado o acordo interino (“Oslo II”) sobre a extensão da autonomia na Cisjordânia, que prevê uma série de retiradas israelenses.

– 23 de outubro de 1998: Em Wye Plantation (Estados Unidos), é assinado um acordo interino sobre as modalidades de uma retirada israelense de 13% da Cisjordânia.

– 11-25 de julho de 2000: Na cúpula de Camp David (Estados Unidos), palestinos e israelenses não conseguem checar a um consenso, principalmente em torno do problema de Jerusalém e dos refugiados de 1948. Dois meses depois começa a segunda Intifada.

– janeiro de 2001: Começam em Taba, no Egito, conversações sobre a base do plano de paz do presidente americano Bill Clinton. Apesar dos avanços sem precedentes, a falta de tempo impede um acordo concreto. Um mês depois, o primeiro-ministro israelense Ehud Barak é derrotado nas eleições pelo líder da direita conservadora Ariel Sharon.

– 30 de abril de 2003: Publicação do “Mapa do Caminho”, elaborado pelo Quarteto para o Oriente Médio (Estados Unidos, Rússia, União Europea, ONU), que prevê a criação de um Estado palestino até 2005 depois do fim da violência palestina e a suspensão da colonização israelense.

O “Mapa do Caminho” foi ratificado em 4 de junho de 2003 em Aqaba (Jordânia) pelos primeiros-ministros de Israel, Ariel Sharon – com reservas em relação à colonização – e da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, na presença do presidente americano George W. Bush.

– 27 de novembro de 2007: Em Annapolis (Estados Unidos), Israel e a Autoridade Palestina, que passou a controlar apenas a Cisjordânia depois de ter sido expulsa de Gaza pelo Hamas, é negociado um acordo de paz para 2008. Durante dezenas de sessões avançam sobre uma troca de territórios na Cisjordânia, sem resultados.

– A Autoridade Palestina se retira das negociações em protesto à operação militar israelense em dezembro de 2008 e janeiro de 2009 contra o Hamas na Faixa de Gaza.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: