Alemanha punirá penalmente casamentos forçados

Fonte: AFP

Imagem de uma cópia do Programa Nacional de Integração da Alemanha

O governo alemão decidiu nesta quarta-feira proibir os casamentos forçados, ampliando seus meios de combate aos imigrantes que se recusam a integrar-se, em pleno debate sobre a imigração na Europa.

Um projeto de lei adotado no Conselho de Ministros prevê a inclusão do matrimônio forçado no código penal, sujeito a punição de até cinco anos de prisão.

Até hoje, este tipo de prática era incluído no registro de delitos considerados coação grave, suscetível a pena de prisão.

O casamento forçado “se transformará em uma infração em si, com o fim de mostrar ainda mais claramente até que ponto é punível”, destacou o ministro do Interior, Thomas de Maiziere, em um comunicado.

A Alemanha foi abalada nos últimos meses por vários casos dramáticos de jovens obrigadas a casar.

“Desta maneira, nos levantamos contra a falsa creça segundo a qual trata-se de uma tradição, que é tolerável em épocas antigas ou em outras culturas”, acrescentou o ministro.

O projeto de lei ainda precisa ser aprovado pelos deputados do Bundestag.

Anúncios

2 Responses to Alemanha punirá penalmente casamentos forçados

  1. Danilo Bueno Ipolito disse:

    Olá. Vocês poderiam me repassar o email para contato do Refugees United Brasil, ou do editor responsável pela edição desse blog o mais rápido possível? Não encontrei email para contato no site.

    Obrigado!

  2. refunitebrasil disse:

    Danilo,
    Por favor, mande um e-mail para br@refunite.org.
    Obrigada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: