Refugiados em verso e prosa: Grupo de rap espanhol escreve música sobre o refúgio

Fonte: ACNUR Brasil

O grupo de rap espanhol Voz Armada. (Foto: cortesia Voz Armada)

A vontade de sensibilizar as pessoas sobre a situação dos refugiados foi o ponto de partida para que o grupo Voz Armada transformasse em música essa delicada questão. Autores da música “La voz de los desheredados” (A voz dos desabrigados, em português), o grupo de rap espanhol diz que tem como principal missão levantar bandeiras sociais e dar voz a assuntos que muitas vezes o mundo silencia. Juntos desde 1997,os MC’s Ingenio e Pikaro e os DJ’s Isis e Ely foram pioneiros ao levar a cultura do hipo hop para sua cidade de origem, Burgos. Em entrevista ao ACNUR, eles falaram sobre os caminhos que criaram o interesse pelo tema dos refugiados.

O que motivou o grupo a escrever uma canção sobre a questão dos refugiados? Como vocês chegaram ao ACNUR?
Já tínhamos ouvido falar do tema na mídia, mas, como sempre, de forma pouco aprofundada (pois este tipo de notícia não vende tanto quanto o Oscar, por exemplo). Sempre tivemes este tema em mente, já a bandeira do nosso grupo são as questões sociais. O empurrão final para que a gente compusesse esta canção foi uma iniciativa que a prefeitura de Burgos e as ONGs locais tiveram para sensibilizar a população sobre a situação real em que vivem os refugiados na Espanha. Imediatamente nos identificamos com a iniciativa, porque nos sentíamos obrigados a transmitir e denunciar esta difícil situação vivida por milhares de pessoas.

De que forma a canção “La voz de los desheredados” pode ajudar os refugiados?
A música é universal, é a melhor forma de expressão que existe pois consegue chegar a todo mundo, sem distinção de idade, gênero, condição social, etc. A música expressa todo tipo de sentimentos, ideias e pensamentos, além de proporcionar uma reflexão, nos torna mais humanos. Essa canção tenta dar voz a todos aqueles que, por mais que gritem, não são escutados. Ela tem que servir para conscientizar e abrir os olhos de todo o planeta para essa grave situação em que vivem os refugiados. Embora não seja a mesma coisa de estar no campo de batalha, queremos dar nossa contribuição dando VOZ a essas pessoas e trabalhando para que essas vozes sejam ouvidas pelo maior número de pessoas possível. Que melhor ferramenta para fazermos isso do que a música e, mais ainda,  a imagem? Por isso, decidimos fazer um videoclipe também.

Que experiência vocês têm com refugiados?
De certa forma estamos familiarizados com o tema e uma pessoa próxima a nós, que é missionária e já trabalhou em diferentes campos de refugiados. Por isso sabemos de primeira mão como está a situação nesses lugares. Além disso, no início da campanha de sensibilização que mencionamos anteriormente, conhecemos vários refugiados que nos contaram suas histórias. A grande maioria tinha se refugiado devido a situações políticas e religiosas. Nos surpreendeu muito o fato de que todos eles se sintam deslocados mesmo que tenham sido bem recebidos nos países de acolhida, pois sentem muita falta de sua terra natal e não podem retornar. E não podem voltar não porque não querem, mas sim porque não os deixam. Eles são os “desabrigados” que dão título à nossa canção.

Quem escreveu a letra de “La voz de los desheredados”? Como foi o processo de criação?
Nós sempre compomos nossas músicas. No rap a pessoa que canta é conhecida como mestre de cerimônias (MC) e cada um desses MC’s escreve sua letra, que parte de uma ideia que fica na cabeça e ganha a visão dessas pessoas sobre a situação, com alma e coração. (Um MC nunca pode cantar letras de outras pessoas, pois estaria enganando os outros).

Acreditamos que, antes de tudo, quem compõe a letra tem que se informar a fundo sobre o tema que vais ser tratado na canção. Então fizemos uma ampla investigação sobre a realidade dos refugiados e devemos admitir que ficamos surpresos com a verdade, pois até certo ponto vivíamos numa situação de  ingnorância. Por meio de notícias você fica sabendo que algo acontece, mas não tem consciência da real dimensão do problema. Por isso ficamos chocados com uma situação tão grave.

Vocês sempre se interessaram por temas políticos e sociais? As demais músicas do grupo abordam quais outros temas?
O grupo Voz Armada se caracteriza por ter como bandeira uma mensagem social, expressando e denunciando problemas reais – tanto os que nos afetam diretamente como aqueles que, mesmo não sentindo na pele, consideramos importantes. Dessa dinâmica surgem assuntos políticos e sociais, já que acreditamos que ser necessário que a população esteja informada sobre o que está acontecendo no mundo. É claro que nossas letras também falam sobre a cultura do hip hop em todas suas vertentes assim como temas pessoais, como nossas experiências, sonhos e inquietudes.

Mariana Muniz e Janaina Galvão, em Brasília

2 respostas para Refugiados em verso e prosa: Grupo de rap espanhol escreve música sobre o refúgio

  1. jadson oliveira de souza disse:

    muito bacana a atitude de voces
    eu tenho um grupo
    grupo flocorico gonzagao caipira
    e estamos atras de um tema para
    representa no ano de 2012
    sou do estado de roraima
    eu grupo trabalha com bandeiras sociais
    bem enteresante
    os refugiados quem saber .eu posa trabalha com ese tema.

  2. refunitebrasil disse:

    Obrigada Jadson!
    Sem dúvida, ao usar sua arte para representar os refugiados, você estará dando voz para as pessoas mais vulneráveis do mundo, mas que certamente têm muito a dividir com todos nós.
    Equipe Refugees United Brasil

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: