Refugiados no Amazonas comemoram data em evento com comidas típicas de seus países

Fonte: A Crítica

Por Júlio Pedrosa

O colombiano Lisandro Rincón, refugiado no Brasil, levou churros para a festa realizada em Manaus (Foto: Zeferino Neto/ Acrítica)

Evento do ACNUR dedicado ao Dia Mundial do Refugiado reuniu aproximadamente 20 estrangeiros refugiados e requisitantes

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) promoveu na tarde deste sábado (11), uma atividade comemorativa ao Dia Mundial do Refugiado (20/06).

A celebração foi promovida em parceria com a Cáritas Arquidiocesana de Manaus e aconteceu no Lar Batista Janel Doyle, no Mauazinho, Zona Leste.

O evento reuniu aproximadamente 20 estrangeiros, entre refugiados e requisitantes, vindos da Colômbia, Peru e Venezuela, numa tarde regada a comidas típicas e músicas dos três países.

De acordo com o ACNUR, no Amazonas existem hoje 10 refugiados e 50 que estão em processo de reconhecimento junto à Polícia Federal, a maioria  de origem colombiana.

A data, segundo a assistente de Proteção do ACNUR, Isabel Pereira, é comemorada em todo o Mundo.

“Este ano, no Brasil, a proposta foi de que os refugiados e requisitantes marcassem a data com a realização de atividades voltadas para a comunidade, como uma forma de promover a integração com eles”, explicou Isabel.

Destino
O Amazonas, segundo ela, não é o destino mais procurado por quem busca refúgio no Brasil – a grande maioria opta pelos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Mas devido à proximidade o Estado tem se tornado um destino cada vez mais procurado pelos colombianos.

Um deles é Lisandro Rincon Parrera, 40, que está em Manaus há seis meses como refugiado.

Ele conta que deixou seu país para fugindo da violência e aqui conseguiu se estabelecer com uma pequena fábrica de churros colombianos, que ele fez questão de levar para a festa.

A assistente social da Cáritas, Andrea Cristina Palheta Gomes, explicou que a entidade vem trabalhando em parceria com o ACNUR desde janeiro deste ano.

Um dos objetivos do trabalho da Arquidiocese é possibilitar o acesso dos refugiados a cursos profissionalizantes com vistas à inserção deles no mercado de trabalho.

“Temos convênios com a Ufam, o Senac, o Cetam e Colégio Preciosíssimo Sangue para realizar os cursos”, informou.

A Cáritas fica na Avenida Joaquim Nabuco, 1023, Centro. Quem quiser maiores informações pode ligar para 3212-9030 ou entrar em contato pelo email cam.refugiados@gmail.com.

Acolhimento
A escolha do Lar Batista Janel Doyle para a realização da festa em comemoração ao Dia Mundial do Refugiado se deu por conta de um acolhimento recente feito pela entidade de duas crianças filhas de solicitantes de refúgio.

“Eles hoje estão agradecendo de uma forma muito simpática pelo acolhimento com alimentos típicos e música. Ficamos  muito felizes com a escolha”, afirma a diretora do Lar Batista Janel Doyle, Magaly Araújo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: