Alto comissário da ONU diz que Brasil é exemplo no apoio para refugiados

Fonte: Jornal do Brasil

Por Renata Giraldi

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota (esq.), recebe o alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, António Guterres, no Palácio Itamaraty (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

O alto comissário da Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), António Guterres, elogiou a posição do Brasil no apoio a refugiados apontado a política adotada no país como de “caráter exemplar” e uma das “mais avançadas”. Guterres lembrou que a América Latina tem uma tradição de refúgio que é “ímpar”.

“Reconhecemos a enorme importância do Brasil como exemplo de uma sociedade de tolerância, que respeita e valoriza a diversidade e que compreendeu que hoje todas as sociedades tendem a ser multiculturais e multireligiosas”, disse o alto comissário, que almoçou com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, no Itamaraty.

Em seguida, Guterres acrescentou que: “O Brasil tem um programa de reassentamento solidário, tem solidariedade em relação ao Equador e com os colombianos. Teve ainda o caráter pioneiro na escala mundial permitindo o reassentamento de palestinos no seu território pela primeira vez no mundo fora da zona dos países árabes”.

O alto comissário repudiou o massacre ocorrido no último dia 22 na Noruega em que 77 pessoas – a maiorias jovens – foram mortas por um homem que justificou o ato como uma reação ao islamismo. Para ele, o episódio como um “acontecimento horrível” e apelou à comunidade internacional que combate à hostilidade a estrangeiros e a xenofobia.

“Tivemos na Noruega um acontecimento horrível que revela quanto é perigoso existir no mundo de hoje formas de ódio político, que aparecem em alguns veículos de comunicação, que tem contribuído para gerar uma hostilidade com relação aos estrangeiros, imigrantes e refugiados, criando movimentos de opinião sensíveis à xenofobia e ao racismo”.

Para Guterres, o massacre ocorrido na Noruega mostra a necessidade de ampliar os esforços para combater a discriminação a estrangeiros no mundo. “Quando há uma atmosfera tão dramática, um crime hediondo como o que ocorreu na Noruega, reconhecemos a enorme importância do Brasil como exemplo de uma sociedade de tolerância”.

O Comitê Nacional para os Refugiados, ligado ao Ministério da Justiça, registra que o Brasil abriga 4.432 refugiados de 77 nacionalidades, sendo 64% provenientes da África. Patriota acrescentou que, paralelamente, o governo repassou em 2010 US$ 3,5 milhões para a Acnur e ajuda na transferência de alimentos para os refugiados que vivem em várias partes do mundo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: