Leis de imigração mais duras levam governo Obama a rara intervenção em estados

Fonte: O Globo

O governo Barack Obama está aumentando a vigilância sobre as políticas de imigração mais duras e tem advogados revisando a legislação de pelo menos quatro estados para determinar se tomará a decisão, incomum, de desafiá-las na Justiça, como revela reportagem do jornal “Washington Post”.

Além do Arizona, onde a batalha é longa e conhecida, o Departamento de Justiça já contesta o Alabama – estado em que um juiz federal permitiu, na quarta-feira, que artigos-chave de leis anti-imigração entrassem em vigor, mas bloqueou outros.

E, agora, advogados do governo estão em conversas em Utah sobre um terceiro processo e consideram questionar legalmente os estados de Geórgia, Indiana e Carolina do Sul.

A Casa Branca às vezes contesta algumas legislações estaduais, mas intervenções federais como as que estão acontecendo agora, dizem especialistas, são raras. Geralmente, em casos como os relacionados a imigração, grupos de defesa dos direitos civis tomam à frente.

Protesto na Geórgia (Foto: AP)

– Eu não me lembro na História de o Departamento de Justiça ter desafiado tão agressivamente leis estaduais – explicou ao jornal americano Jonathan Turley, da escola de direito da Universidade George Washington.

A polêmica em torno de leis relativas a imigração ganhou força no ano passado, quando o Arizona aprovou uma legislação que autorizava policiais a checar aleatoriamente nas ruas o status migratório de um cidadão. Um juiz federal bloqueou este e outros artigos mais contraditórios, mas leis similares foram aprovadas nos últimos meses em Alabama, Utah, Geórgia, Indiana e Carolina do Sul. Outros 17 estados consideram medidas do tipo.

O governo federal é agora pressionado a intervir, sobretudo na Carolina do Sul, onde a lei anti-imigração entrará em vigor em 1º de janeiro. Grupos de defesa dos direitos civis fazem lobby junto à Casa Branca – a União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU) circula na internet um abaixo-assinado com 23 mil nomes. Ao mesmo, estados como Utah pressionam o governo a ficar de fora da questão.

O debate chega num momento em que imigração é mais do que nunca uma questão política, com a ala mais conversadora republicana pressionando por medidas mais severas. Os Estados Unidos, um país de 12 milhões de imigrantes ilegais, realizam eleições presidenciais em 2012.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: