Para ONU, apenas ação global conterá ações de traficantes no México

Fonte: Rádio ONU

Por Mônica Villela

Yuri Fedotov é chefe do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc

Chefe do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, Yuri Fedotov, termina uma visita ao país nesta sexta-feira; já a Unesco expressou preocupação com assassinatos de jornalistas mexicanos.

A melhor forma de combater o tráfico de drogas é através de uma estratégia global. A afirmação foi feita pelo diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc.

Segundo Yuri Fedotov, que encerra nesta sexta-feira, uma viagem oficial ao México, as redes criminosas do país representam uma ameaça massiva para toda a região e outras partes do mundo.

Autoridades Locais
Nos últimos cinco anos, dezenas de milhares de pessoas foram mortas ou mutiladas no México, por causa do narcotráfico.

Ao se encontrar com o presidente do México, Felipe Calderón, o chefe do Unodc elogiou as tentativas do país de combater o crime organizado.

Ele reafirmou o compromisso do Unodc de continuar trabalhando no México com as autoridades locais para vencer o crime.

Durante a visita que fez à Assembleia Geral da ONU, na semana passada, o presidente mexicano pediu a ajuda da organização para fazer o controle em países com consumidores e produtores da droga, e do volume de armas que alimentam o arsenal dos traficantes.

Assassinatos de Jornalistas
Ainda nesta sexta-feira, o Alto Comissariado de Direitos Humanos das Nações Unidas, informou que está profundamente preocupado com os recentes assassinatos de jornalistas do México. No início da semana, a Unesco havia emitido uma nota condenando a morte de três repórteres no país.

No sábado passado, o corpo da jornalista María Elizabeth Macias, 39 anos, foi encontrado decapitado e mutilado. Ela trabalhava para o jornal “Primera Hora” e fazia críticas ao crime organizado.

Ao lado do corpo da jornalista foi encontrada uma nota dizendo que ela havia sido morta “como retaliação pelas suas reportagens”.

O Alto Comissariado disse que compreende os desafios enfrentados pelo governo para combater o crime organizado, mas disse que está preocupado com a prevalência da impunidade, e pediu uma investigação imediata dos casos. Segundo a nota, alguns dos crimes teriam sido cometidos com a cooperação ou apoio de agentes do Estado mexicano.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: