Avião bombardeia campo de refugiados no Sudão do Sul

Fonte: Último Segundo

 

Presidente sudanês, Omar al-Bashir (D), discursou ao lado do presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir (09/07) (Foto: AP)

Ataque em região próxima à fronteira com o Sudão deixou pelo menos 12 mortos e 20 feridos, segundo autoridade local

Um campo de refugiados no Sudão do Sul foi alvo de um ataque aéreo nesta quinta-feira, informaram testemunhas e autoridades do país. O campo situa-se a menos de 50 km da fronteira com o Sudão.

Segundo Miabek Lang, uma autoridade local, o ataque deixou pelo menos 12 mortos e mais de 20 feridos.

A violência ao longo da fronteira precariamente definida depois da independência do Sudão do Sul, em julho, levou a um aumento nas tensões entre antigos inimigos de uma guerra civil. Eles se acusam mutuamente de apoiar grupos rebeldes.

Um correspondente da Reuters ouviu uma grande explosão no campo de refugiados de Yida, viu uma cratera com cerca de dois metros de largura, uma bomba sem explodir ao lado do prédio de uma escola e uma aeronave branca voando rumo ao norte. Testemunhas afirmaram que houve outras três explosões às 15h do horário local (10h em Brasília).

De acordo com o repórter da BBC, assim que um helicóptero da ONU que levava suprimentos ao campo aterrissou em um heliporto improvisado, houve uma profunda explosão nas proximidades.

Os refugiados disseram que o avião deu voltas pelo céu antes de atirar duas bombas. De acordo com eles, cinco bombas foram jogadas no local, sendo que quatro explodiram.

Horas antes do bombardeio, o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, condenou um ataque praticado na terça-feira que deixou sete mortos na mesma região e disse que Cartum de estar procurando guerra.

Uma autoridade do Sudão do Sul acusou o governo do Sudão pelo bombardeio desta quinta-feira. O Exército do Sudão negou a acusação. “Não bombardeamos nenhum acampamento, nem região nas fronteiras do Sudão do Sul. O que acontece no Sudão do Sul é coisa dos sulistas e nós não temos nada a ver com o que acontece ali”, declarou o porta-voz Sawarmi Khaled Saad.

O Sudão do Sul separou-se do Sudão em julho após votar pela secessão em um referendo ocorrido em janeiro – na culminação de um acordo de paz de 2005 que pôs fim a décadas de guerra entre o norte e o sul.

Insurgência no Sudão
Segundo a agência EFE, rebeldem e membros do Exército do Sudão entraram em confronto na província de Kordofan do Sul. Pelo menos 52 combatentes morreram após o ataque insurgente à cidade de Teludi.

O prefeito da cidade, Magbul Hayam, disse que o ataque resultou na morte de sete soldados e 45 milicianos do Movimento Popular para a Libertação do Sudão/Setor Norte (MPLS-N), que há meses mantêm combates com as tropas governamentais

Com AFP e Reuters

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: